22:33h • 19 de Novembro de 2018
Alterar Senha
Esqueci minha Senha

Notícias

ARTIGO - "Parabéns APMP"

Ex-presidente da APMP, Sergio Renato Sinhori, escreveu um artigo especial para celebrar o aniversário de 67 anos da Instituição

06/09/2018

Parabéns Associação Paranaense do Ministério Público! O ex-presidente da APMP, Sergio Renato Sinhori, procurador de Justiça aposentado, escreveu um artigo especial para celebrar o aniversário de 67 anos da Instituição. No artigo, o associado relembra momentos importantes da APMP, ao fazer uma breve trajetória desde a fundação da entidade de classe até os dias atuais. Uma verdadeira viagem no tempo. Leia!

 

PARABÉNS APMP!

Ao completar neste 6 de setembro de 2018 seu 67° aniversário, à Associação Paranaense do Ministério Público pode-se creditar papel fundamental na edificação do relevante perfil institucional modernamente vivenciado. No espaço de convivência salutar e pedagógica, o debate sempre resultou em bom legado, os métodos evoluíram com as décadas e a consciência gregária demonstrou que, como membros do Ministério Público, estamos aptos para a maior das missões, a de defensores do regime democrático, porque sabemos exercê-lo para nós mesmos.

Não nos imobilizamos na indiferença, esgrimimos com a força das ideias. Sob a liderança de notáveis figuras e suas diretorias, a classe foi modelando e fortalecendo a entidade. Presidiram-na Ary Florêncio Guimarães, Octacílio Vieira Arcoverde, Alcino de Carvalho e Souza, Manoel Guimarães de Abreu, Eddie Santos Ribas, Acyr Saldanha de Loyola, Acyr Ferreira de Camargo, Guilherme de Albuquerque Maranhão, Francisco Postareck, Jerônymo de Albuquerque Maranhão, Leônidas Taborda Ribas, Eduardo Correia Braga, Ronaldo Antonio Botelho, Nilton Marcos Carias de Oliveira, Antonio Bassi, Milton Riquelme de Macedo, Jair Cirino dos Santos, Sergio Renato Sinhori, Maria Tereza Uille Gomes, Cid Marcus Vasques, Ivonei Sfoggia, Wanderlei Carvalho da Silva, Francisco Zanicotti e Cláudio Franco Felix.

Merecem destaque, ao longo desses anos, a atuação com veemência na defesa dos associados, em questões relacionadas à categoria, viabilizando as medidas judiciais coletivas necessárias, e, no plano individual, a emissão de manifestações públicas de apoio e do encaminhamento administrativo ou judicial adequado.

Vale registrar o necessário incremento e aprimoramento científico e cultural dos associados, apoiando atividades de ensino, pesquisa e produção jurídica, havendo, nesse campo, um marco indelével: a instituição da Fundação Escola do Ministério Público e a aquisição de sua magnífica sede própria se deram a partir de iniciativa da APMP, à qual estava vinculada a antiga Escola do Ministério Público.

A APMP organizou e realizou o 13º Congresso Nacional do Ministério Público, em 1999, sucesso científico e social, reunindo em Curitiba mais de dois mil membros do MP brasileiro.

Os Grupos de Estudos experimentaram um efetivo desenvolvimento como instâncias descentralizadas de participação, difusoras de informações, funcionando também como verdadeiras usinas de projetos e soluções para os desafios de nossa carreira.

Tivemos desde o início uma fértil performance no acompanhamento legislativo, ombreando-nos ao valoroso trabalho da CONAMP e das demais associações congêneres. Há trinta e dois anos, no dia 21 de junho de 1986, foi deliberada e lavrada a “CARTA DE CURITIBA”, texto consensual aqui aprovado no 1º Encontro Nacional dos Procuradores–Gerais de Justiça e Presidentes de Associações do Ministério Público, e que inspirou diversos dispositivos da Constituição promulgada em outubro de 1988. A partir de então, travamos um incessante combate pela preservação de nosso modelo constitucional, pois o cotidiano mostra que os interesses contrariados de segmentos econômicos e políticos não comprometidos com os reais interesses da nação, faz voltar-se contra a incisiva e destemida ação dos agentes do Ministério Público a ira dessa parcela corrompida do poder.

O PROMED, sigla respeitada de um dos mais genuínos planos de saúde corporativos, gerido integralmente pela APMP, foi criado e teve uma constante reestruturação administrativa que lhe garantiu solidez e estabilidade financeira, atendendo hoje a uma comunidade de alguns milhares de beneficiários e contando com uma vasta rede de profissionais e empresas da área médica credenciados em todo o Estado.

Atendemos às famílias dos associados também com a Mútua, nosso tradicional e consistente pecúlio.

No campo patrimonial superamos nossas próprias expectativas. De uma minúscula sala cedida pela Procuradoria-Geral de Justiça ao lado dos elevadores no 6° andar do Palácio da Justiça, hoje contamos com moderna e ampla sede própria no Centro Cívico, além de hotel de trânsito, sede campestre em Colombo, sede litorânea em Matinhos e sedes em Foz do Iguaçu, Londrina, Maringá e Umuarama.

Sempre é tempo de relembrar, entretanto, o conceito de que o Ministério Público não é um fim em si mesmo, mas instrumento a ser usado em favor da sociedade. E que o corporativismo não deve passar da defesa intransigente das garantias para o amplo exercício de nossas atribuições. Garantias que não são nossas, mas da população. Relembrar que o personalismo nas ações enfraquece a unidade, e que a exposição excessiva à luz dos holofotes, ofusca a visão do horizonte.

Embora possamos nos orgulhar de pertencer a uma das mais dignas instituições da República, precisamos considerar que há uma mensagem explícita evidenciando que as corporações, as organizações, as entidades, as instituições e todos os demais setores públicos que não se afirmarem como imprescindíveis agora, estarão irremediavelmente relegados ao desprezo e submetidos ao escárnio da população. Isto se vê claramente nos dias atuais, porque a sociedade não cansou apenas dos homens públicos descomprometidos com a honestidade, mas também daqueles que demonstram insaciável apego aos benefícios eticamente repudiados.

Nas mãos de todos os membros ativos e inativos repousa a tradição, a glória e a vitalidade da Associação Paranaense do Ministério Público.

Sergio Renato Sinhori

Ex-Presidente 1997-1999