11:03h • 14 de Dezembro de 2017
Alterar Senha
Esqueci minha Senha

Notícias

TRE do Paraná propõe ao TSE redução de apenas 16 zonas eleitorais no estado

Comissão entregou estudo ao ministro Gilmar Mendes

18/08/2017

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, recebeu na tarde da última quinta-feira (17), em Brasília, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Paraná, desembargador Adalberto Xisto Pereira, para tratar da extinção de zonas eleitorais. Xisto Pereira entregou um estudo no qual se propõe a extinção de apenas 16 zonas eleitorais no Paraná (veja abaixo) em vez de 103, como defende o TSE por redução de custos. Mendes prometeu analisar a “contraproposta” do TRE, mas não há um prazo para uma resposta final.

No Paraná, hoje, existem 206 zonas eleitorais para atender os 399 municípios, e a possibilidade de extinção de metade delas gerou mobilização de lideranças do estado. O estudo apresentado a Gilmar Mendes recebe o aval, por exemplo, da União dos Vereadores do Paraná (Uvepar), da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Paraná. Deputados federais e estaduais também se engajaram contra a extinção planejada pelo TSE.

De modo geral, entidades e a classe política apontam para um “retrocesso institucional”, com um “distanciamento entre a Justiça Eleitoral e o cidadão comum”. “O maior prejuízo seria em municípios pequenos, com uma única zona eleitoral. Porque a fiscalização nas campanhas eleitorais enfraquece. A própria figura do juiz eleitoral inibe a prática de crimes”, acrescentou o presidente do TRE, em entrevista à Gazeta do Povo. Xisto Pereira também destaca que há 24 anos não se cria uma nova zona eleitoral no Paraná, embora o eleitorado de lá para cá tenha aumentado, de cerca de 5 milhões para quase 8 milhões.

Na reunião desta quinta-feira em Brasília, além do presidente do TRE, um grupo de deputados federais e a ex-procuradora-geral de Justiça do Estado do Paraná Maria Tereza Uille Gomes, hoje membro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), estavam entre os presentes para reforçar a bandeira contrária à ampla extinção. Durante a reunião, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), também falou ao telefone com Gilmar Mendes.

As diretrizes para a extinção de zonas eleitorais em todo o Brasil constam na resolução do TSE de número 23.520/2017. O documento, em tese, poderia provocar de imediato o fechamento de 103 unidades no Paraná. Foi por causa dessa orientação geral do TSE que o TRE criou em maio uma “comissão de rezoneamento”, responsável por analisar o impacto da resolução. O trabalho do grupo, que captou peculiaridades do Paraná, rendeu um estudo de quase 500 páginas. Na peça, agora levada a Gilmar Mendes, se propõe, além da extinção de apenas 16 zonas eleitorais, o remanejamento de outras 28.

 

 

 

CONTRAPROPOSTA

Saiba as 16 zonas eleitorais que o TRE-PR sugeriu ao TSE que sejam extintas:

 

- 152ª ZE de Ivaiporã

- 179ª ZE de Apucarana

- 180ª ZE de Arapongas

- 181ª ZE de Cambé

- 185ª ZE de Cascavel

- 187ª ZE de Pinhais

- 189ª ZE de Londrina

- 190ª ZE de Londrina

- 191ª ZE de Londrina

- 193ª ZE de Maringá

- 197ª ZE de Ponta Grossa

- 198ª ZE de Ponta Grossa

- 200ª ZE de São José dos Pinhais

- 201ª ZE de Toledo

- 202ª ZE de Umuarama

- 205ª ZE de Foz do Iguaçu

 

Com informações: Gazeta do Povo

Foto: TREPR